quarta-feira, abril 29, 2009

Isto das gajas que cantam

Hoje um email deixou-me taquicardíaca logo pela manhã, não sei quê de um passatempo. (Só de falar nisso, pum pum pum.)
Ao almoço li uma entrevista da minha fadista preferida e, horas mais tarde, descobri que ela vai estar no Fórum da Maia daqui a dias. Pum pum pum.
Não são os gajos, afinal, que vão ser a minha morte.

Alzheimer

Hoje vi a minha madrinha de curso de Zootécnica no centro da Maia (tenho 99% de certeza que era ela, o que eu gostava daquela rapariga, madrinha mais bem escolhida, só se a de baptismo) e não tive coragem de ir ter com ela e perguntar-lhe "desculpa, tu não és a...?" porque não me lembro do nome dela.

terça-feira, abril 28, 2009

Isto pega-se

Há dias uma amiga contou-me que acordou a chorar depois de um pesadelo, as lágrimas a correr-lhe pela cara abaixo. Eu acordei a chorar ontem, não pelo sonho com as amigas, mas por outras coisas mais profundas - e assustadoras. Contei a uma outra amiga, que hoje acordou a chorar sem sequer se lembrar do que tinha sonhado. Fica o aviso: não leiam este post.

segunda-feira, abril 27, 2009

Ontem sonhei

com as minhas amigas todas juntas, só as mulheres, e a confusão instalou-se em menos de nada. Ou a francesinha do jantar não concordou comigo, ou tenho de arranjar mais amigos homens.

domingo, abril 26, 2009

A vida

mede-se aos palmos amigos.

A morte que me namora

já me pode vir buscar.
Totalmente ao contrário do pungente espírito da música.

quinta-feira, abril 23, 2009

Menos

Dizer menos, fazer menos, mexer menos, contar menos.
Novo mantra.

ah, mas foste comprar uma revista feminina

uma revista de gajas?
sim.
é para a minha irmã, estúpida.
sou estúpida mas tu já estás toda entusiasmada com o artigo das bolas tailandesas.
opá, um gajo tem de se manter informado.
não gosto nada quando falas assim de ti mesma.
eu não gosto nada quando falas.
parva!
(chatinha até mais não, esta gaja...)

À atenção da Metro do Porto

Exmos. Srs.,

Como utente da Metro do Porto, com o cartão Andante Gold nº xxxxx, categoria Z3, e fazendo todos os dias o trajecto Casa da Música - Fórum Maia, gostaria de exprimir o meu descontentamento pelo facto de, no meu percurso diário, ouvir duas vezes o aviso "All passengeres wishing to travel in the direction of xxxxx, please change here to a vehicle with that destination", em que a palavra "vehicle" é erradamente pronunciada como "vei-í-cãl". Assim, apresento-vos a forma correcta de pronunciação, na esperança de que venham a corrigir este erro, que em muito diminui e denigre a imagem da nossa cidade junto dos turistas que nos visitam.

vee-i-kuhl
Pronunciation note: Because the primary stress in vehicle is on the first syllable, the [h] in the second syllable tends to disappear: [vee-i-kuhl]. A pronunciation with primary stress on the second syllable and a fully pronounced /h/[h] is usually considered nonstandard: /viˈhɪkəl/[vee-hik-uhl]. In the adjective vehicular, where the primary stress is normally on the second syllable, the /h/[h] is always pronounced.

Sem mais de momento, apresento-vos os meus melhores cumprimentos.

Joana X

Adenda

Se é para me deprimir, ouço a real thing. Nude, instantâneo.

Do apetite

Gostava que alguém explicasse ao meu corpo esta coisa do apetite. Para vez se paro com isto de comer forçada a maior parte dos dias de uma semana inteira e depois passar a semana seguinte a devorar tudo como se não houvesse amanhã.

quarta-feira, abril 22, 2009

Novas

The Boxer Rebellion. Demasiado Radiohead meets Interpol mas sem querer partir a loiça para o meu gosto, mas sempre é uma mudança da voz do William Shatner. (E quando a música pára o meu cérebro grita "and dance and drink and screw, because there's nothing else to do!!!".)

Não sei do meu passaporte

e duvido que precise dele anytime soon. A língua pode ser uma barreira tão pouco importante.

Lucky 13

Sempre achei o número 13 engraçado.

Prémio "My sentiments exactly"

"Seven years? Fuck!"

não te percebo

porquê, perguntei-lhe.
não tens a mínima vontade?
não.
nem pela festa?
acho um bocado estúpido.
estúpido? é lindo!
é estúpido. e perigoso e totalmente contra os meus princípios. racionalmente, tenho de dizer que não.
mas não é uma coisa racional!
my point exactly. é uma parvoíce.
és impossível! e saiu porta fora, furiosa. ok, talvez tenha exagerado, mas ela é tão chatinha...

Ao terceiro

(ou quarto) par de asas de pomba que vejo na rua em poucos dias, concluo que os gatos não gostam de ossos com penas.
Acorda, Alice, e volta ao trabalho!

Há dias,

em conversa com a esteticista sobre trabalho novo, disse-lhe que uma das coisas boas que tem é que não me lembro dele. Saio daqui e desligo. À tarde ou no fim-de-semana, o trabalho não existe.
Ontem, a meio da noite, lembrei-me de uma porcaria de um documento que era suposto enviar para não-sei-quem a dizer não-sei-o-quê e tive um mini-ataque de pânico porque achei que não o tinha feito - mas tinha. A válvula não é tão estanque como a quero fazer, o que é mau.
Reacção: actualizo o CV.

Actualiza o blog

Aproveita e escreve qualquer coisinha nos outros dois, já agora. Qualquer coisa, só para dizeres que estás viva.
Muda a frase no Gmail. Muda a frase no MSN, while you're at it.
Actualiza o Twitter. Vê o hi5, passa os olhos pelo facebook, não te esqueças do LinkedIn e responde aos emails que possas ter.
Mais de moderna do que de vida, de facto.

Isto não vai a lado nenhum

Entra-se numa repartição de finanças. Moderna, sóbria, toda less is more em equipamento e decoração. LCD's a indicar o andamento dos vários serviços, barulhinho deveras irritante de cada vez que chamam uma pessoa. E depois entramos e vemos que atrás dos balcões estão pessoas dos anos '90, algumas até mais antigas. Mal vestidas, despenteadas, algumas mesmo com cabelos sujos, oleosos. Homens gordos com bigodes em desuso, pronúncias carregadas do interior ou dos subúrbios mais refundidos do Porto. Pedimos esclarecimentos e não sabem explicar-nos, olham para os papéis a medo e, se por acaso percebem alguma coisa do que estão a dizer, não conseguem transmitir.
Isto é Portugal.

A velha máxima

"Quem estraga velho, paga novo" não se aplica no mundo dos seguros.

So it started there...

Uma vez fui da Alameda, em Lisboa, até ao Monte da Caparica a ouvir a mesma música no carro, em repeat. E havia trânsito na ponte. Consigo ouvir o mesmo álbum várias vezes seguidas e ando semanas a ouvir o mesmo grupo, vide fixação em Radiohead. Há uma semana que não canto mais nada do que a Common People, versão William Shatner, e não sei bem como dizer isto, mas... ainda não me fartei. Será que isto faz mal?

sexta-feira, abril 17, 2009

Ontem sonhei com Madrid

e tenho imensa pena de não me lembrar de mais nada do sonho, só que estava em Madrid e estava feliz. Bruce, estás aí?

Quem tem paciência para o Paul McCartney?

Eu não.
(Deliverance no café onde almocei, canal de música VH1. E o meu Fab Four favorito era o George Harrison, people!)

Who wants to see

rugged, tough men?

For future reference

The Holy Trinity of Bruce.

Hoje é o dia!!!

Ou não.

quinta-feira, abril 16, 2009

As velhas que moram em vielas

têm super-poderes de audição, visão, olfacto ou quê?

Quero a receita para conciliar

vontade de comer: zero com estômago a pedir comida: 100.

Do sono

Em Trás-os-Montes dormi como um bebé e horas a fio. Depois veio a festa na aldeia e estragou-me a média, mas por óptimos motivos, copos até às 4h e almoço de Páscoa às 13h na outra aldeia.
E desde aí que não voltei a dormir umas oito horinhas decentes, mas suspeito que o meu corpo já vai habituado, porque ontem deitei-me por volta da meia-noite e meia (que cedo!), músculos arrasados da distribuição, e hoje às 6h40 estava de olho aberto a ver as horas. Virei-me para o lado e dormi até o despertador tocar, que se há coisa a que o meu corpo está habituado e certificado a fazer é adormecer sempre que pode.

quarta-feira, abril 15, 2009

Não adulterar é reacção!

Muitas vezes acho que a letra de certas músicas é melhor com as adulterações que lhe faço, seja por não ter percebido à primeira ou por vício.
Exemplo: Essa miúda, Jorge Palma
Em vez de "Diz que sem ti não sabe voar" eu gosto muito mais de "Diz que sem ti não sabe do ar". Deve ser a trasmontana em mim.

Momento Alzheimer

Toda a manhã a pensar em algo que queria postar e agora não me lembro. Note to self: já dormias, já.

terça-feira, abril 14, 2009

Mais do que lembrar-se de uma música inteira,

o que acho espantoso no meu cérebro é lembrar-se da música seguinte no disco. (Quando o alzheimer está de férias, claro.)

quinta-feira, abril 09, 2009

Desejar Boa Páscoa

afigura-se-me tão tonto como dizer "Bom Outono" ou "Boa Primavera", agora que ela anda (anda?) aí.

Por acaso até sei

(...), sai daí!
ou
(...), porra, mas tu aguentas isso porquê?!
ou ainda
(...), camião desgovernado na tua direcção, não foges porquê?

Bruce, Bruce

Andas a gozar comigo. Se calhar estás chateado por te chamar Bruce, mas é que eu chamo Bruce a todas as entidades superiores, para ser mais simples. Amigos na mesma?

Conta-me

"Eu sufoquei-o, eu sufoquei-o, percebes?" Transformou-se numa pessoa horrível, chata, stressada, paranóica. Quando trazem ao de cima o pior de nós, ...
(não sei acabar esta frase)

Logo de manhã, sismologia no metro

"E aquilo em Itália? Viu? Parece que houve outro durante a noite. Houve dois!"
"Aquilo também parece que está mesmo em cima da... da tal placa."
"Ainda é pior."

Prémio "Melhor frase que já me disseram sobre o assunto"

Sete anos?!, ele espantado.
Sete anos, quatro deles a vivermos juntos.
Como é que as pessoas namoram sete anos?
Sei lá.
Em que é que pensavas quando acordavas de manhã?

E tenho muito sono de manhã...

Não durmo uma noite inteira, daquelas de acordar espontaneamente, desde a semana passada. Mas não me posso queixar, porque no sábado de manhã fui para Madrid passar o fim-de-semana e só voltei na segunda de manhã.
Na segunda à noite tive os anos de um amigo, copos ao fim da tarde, jantar em excelente companhia (excelente, excelente), mais copos a seguir.
Na terça fui à ópera em excelente companhia e a seguir bebemos finos para comemorar o aniversário da filha-companheira-de-tudo-e-mais-alguma-coisa-excelente-menina.
Ontem fui aos sem-abrigo ("Vem cá o Público? O JN? A RTP?", eles a mandarem bocas por causa da minha ausência dos últimos tempos) e depois copos no Piolho e hoje dói-me tudo porque já não pegava em panelas de 6kg de arroz há muito tempo.
Hoje rumo ao spa, vou dormir tanto que acho que até vou hibernar um bocadinho. Ou não, porque os finos em ToM custam 80 cêntimos e a companhia é óptima.

Nota do autor: os copos várias vezes mencionados foram de coca-cola, a ver se acordava, ou de nada, a ver se não piorava a coisa.

Frase-chave

Ui, acho que isto vai bater muito mal.
E bateu.

quarta-feira, abril 08, 2009

Aïda

Nunca mais vou a uma ópera sem me lembrar da história. Três horas a apanhar do ar.

sábado, abril 04, 2009

Druggen blogging

me: ahahahahahahah
pára
o duarte já está a perguntar o que se passa aqui
Mana: jah parei
me: e está colado!
imagina se estivesse atento
Mana: passa-se, duarte, que estou a fumar um, duarte, e se me permites, duarte, fazes uns muita fortes, duarte

Momento Ahahahahahahah!

Eu e ela na cozinha a falar do preservativo feminino, por causa da campanha recente na tv que agora não encontro, e quando falamos do factor "aquilo pode entrar lá para dentro e há muitas mulheres que não sabem o que fazer", ela levanta-se para demonstrar a provável reacção típica, abre os braços, olha para baixo e diz "ah, entrou, e agora?!" e eu morro de riso.
You had to be there.

sexta-feira, abril 03, 2009

Lição de Aleixo

Nunca uses a garagem como escritório, sala de estar, sala de estudo do filho, espaço de arrumação e outros porque depois aquilo inunda-se tudo quando a companhia das águas da tua zona não sabe o que faz.
Ou como às vezes as coisas que leio neste trabalho são um misto de tragédia e comédia.

Parece

que descobriram o autor de O Meu Pipi. Melhor ainda, a autora. Se não for blague de 1 de Abril, é genial!
E eu que já não me lembrava que adoro a palavra "berlaitada".

Coincidências

Nas palavras cruzadas (que eu já quase nunca faço) do Metro (que eu nunca leio), 1. vertical: capital de Espanha.
Bruce, Bruce, não tens telemóvel com sms? Era mais fácil.

quinta-feira, abril 02, 2009

Difícil de explicar

porque me sinto tão abalada ao saber de repente que uma amiga virtual passa algo similar ao que eu já passei. Conheci-a no SW, depois do concerto da Björk, totalmente combinado, Olá, finalmente vemos-nos frente-a-frente.
E vejo-a agora ter muito mais discernimento e percepção do que eu tive há um ano e meio e no período que se lhe seguiu. (Também porque eu era/sou uma miúda e ela não, já aprendeu duas ou três coisas na vida.)
Não faz diferença nenhuma, dói na mesma, sofre-se na mesma. Talvez se ande com a cabeça mais clara ou mais limpa, mas os factos são os factos e nada mais interessa.
Se calhar sinto-me tanto por ela porque me dói a dor dela que já foi a minha.

O que é pior?

Hoje o pequeno-almoço deixou-me em lágrimas.
ou
Hoje o meu pequeno-almoço era picante.
ou ainda
Hoje acordei e quando entrei na cozinha vi uma travessa de massa com tomate e pimentos e logo ali decidi que aquilo daria um belo pequeno-almoço, era exactamente aquilo que me apetecia comer ontem ao jantar, mas às 19h30 estava de pijama e dormi seguido, fora as interrupções com assuntos "urgentes" (que, valha-me deus, não o eram) e desmarcações de cafés com amigos porque eu estava exausta e precisava mesmo de dormir, tanto que dormi até de manhã, quase 12h seguidas de sono, que bem me soube, e daí a fome logo de manhã, porque ontem o sono era tanto que nem a fome, a sede e a vontade de fazer chichi me tiraram da cama.

quarta-feira, abril 01, 2009

Ai, que me hackaram o blog!

Veio cá uma gaja sem jeitinho nenhum para contar petas de 1 de Abril e inventou uma história fraquíssima sobre fechar o blog.

Violência justificada II

Ontem voltei a ficar sem telemóvel. Não sei quem merece mais porrada, ele que se avaria a cada cinco dias, ou eu que ainda não lhe dei um chuto. Se telemóvel fosse feminino, já me tinha acabado a paciência, tenho a certeza.

La Movida

Mana: vais para madrid a 17,50 com casa, e precisas de ser animada?????
Mana: enlouqueceste

eu estou excitadíssima e não é comigo!
No sábado vou para Madrid passar o fim-de-semana e ver o novo do Almodóvar (que só estreia em Portugal em Setembro, vá-se lá saber porquê).
As hormonas são lixadas.

Gosto

de máquinas de tabaco que aceitam notas.